As top 10 iniciativas mais sustentáveis em todo o mundo

TRADUZIDO POR LISETE FERNANDES E MAYCA FERNANDES SANTOS

“2016 em 366 iniciativas para réinventar o nosso mundo”. Este é o título escolhido pela Efficycle, um site périto em mídia especializada em notícias da actualidade acerca do desenvolvimento durável, para a sua edição especial anual chamada Florilège.

As iniciativas florescem nos quatro cantos do mundo. Do México à Tailândia através dos EUA, muitos são os projetos que são conhecidos pelo conceito de ter um modo de vida mais amigo do ambiente. As ações de preservação de recursos, a produção de energias renováveis e a solidariedade são as principais temáticas desta edição especial. A publicação foi desenvolvida através do esforço diário da equipe de redação da Efficycle durante o ano de 2016. O seu objetivo é o de recensear o maior número possível destas iniciativas duráveis engenhosas. O Le Journal International oferece-lhe uma seleção dos dez projetos mais inovadores.

N°10. Bélgica: O Cartão NewB–  O mais viável

O Goodpay, é um cartão biodegradàvel  feito a partir do milho, que permite avaliar se o nosso comportamento é bom para o ambiente. Este método de pagamento permite que você não fique com o saldo negativo e oferece a possibilidade de poder pagar as suas compras de forma anónima. A cada compra que fizer, 5 centavos se revertem para uma boa causa, sem ser às custas do consumidor. O cartão NewB está entre os cartões pré-pagos mais baratos na Bélgica. E chega a ser gratuito se for utilizado de forma regular.

N°9. Canadá : Crystal Green Energy – Os mais instruídos

A start-up canadiense Crystal Green Energy concebeu um painel solar de alta performance em Sudbury, na província de Ontário. O painel foi testado no ano passado nos EUA, em Tucson, Arizona, uma região particularmente ensolarada, situada na fronteira do México. Constituído por 9 “lâmpadas”, é cerca de 40% mais eficiente do que os painéis solares convencionais. Este dispositivo adapta-se ao movimento do sol durante o dia, para maximizar o seu desempenho, especialmente em regiões onde o nível de luz solar é mais fraco. O seu custo permanece elevado e o painel continua na fase de protótipo.

N°8. Países- Baixos : Dobberend Bos – O mais improvável

Inspirado pelo projeto do designer e artista  Jorge Bakker, “In search of habitus” (2012), uma floresta flutuante ou “Dobberend Bos(em holandês), foi inaugurada dia 16 de março, em Roterdão, nos Países-Baixos. Os flutuadores são feitos com boias antigas que eram usadas na zona portuária da cidade, e foram recicladas para a ocasião. A instalação, que integra cerca de 20 árvores, levanta a questão de qual é o lugar da natureza numa cidade.

N°7. México: Eco Domum – O mais original

“Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”. A máxima atribuída a Lavoisier (químico francês) aplica-se perfeitamente a esta start-up que é baseada no estado de Puebla, no sul do México. A Eco Domum faz a recolha de resíduos de plástico para elaborar grandes painéis. Estes que por sua vez servirão como material de base para elaborar os muros e telhados de casas com cerca de 40m2 . Estas casas acessíveis, são depois oferecidas a famílias de baixa renda, pela modéstia quantia de 5.000 pesos (cerca de 250 €).

Voo de flamingos. Imagem ilustrativa. Crédito: Mihajov.

N°6. Volta ao mundo : Sailing for change – O mais ambicioso

Brendan Goumon, Igor Cottin, Joaquim Manuel e Robin Chenel, quatro franceses de origem bretão, que partiram para uma viagem à volta do mundo “zero lixo. A sua associação Sailing for change , (“navegar para mudar”) faz jus ao seu nome. Os quatro partiram por dois anos de navegação com a fundação Ellen MacArthur (uma famosa navegadora), patrocinados pela especialista em “zero lixo”, Béa Johnson. No seu veleiro, com total independência energética, eles realizam um estudo sobre a poluição marítima, em parceria com organismos científicos e associações.

N°5. Tailândia: Phi Suea – O mais promissor

Phi Suea é o primeiro condomínio solar-hidrogênio autossuficiente. Este projeto foi lançado em Chiang Mai, no norte da Tailândia, dia 29 de Janeiro de 2016. O projeto está registrado numa linha espetacular de desenvolvimento de habitats ecológicos. Phi Suea não corre o risco de ter problemas meteorológicos, é autónomo 24 horas por dia, 7 dias por semana. Estas casas de família possuem um jardim com um sistema de permacultura e janelas grandes com vidros duplos.

N°4. Estados Unidos: The Perennial – O mais gourmet

É  o lugar certo a frequentar em São Francisco. The Perennial é um bar-restaurante, criado por um casal de americanos Anthony Myint e Karen Leibowitz. Não o julgue pelo seu design elegante e decoração moderna, The Perennial é um espaço que foi pensado de A a Z para ser um lugar amigo do ambiente. O restaurante pratica aquaponia, que é uma forma de aquicultura que associa uma «simbiose » entre culturas de vegetais e a piscicultura. A carne é produzida localmente. The Perennial foi inteiramente concebido para minimizar o impacto do restaurante no planeta.

“Estamos focados em minimizar o nosso impacto no meio ambiente”

Karen Leibowitz do blog Tasting Table

N°3. Bali : Bye Bye Plastic Bag (Adeusinho aos sacos plásticos) – O mais comovente

Duas irmãs com a idade de 10 e 12 anos, Isabel e Melati Wijsen, estão por detrás do projeto Bye Bye Plastic Bags. No ano passado, as duas fizeram um curto vídeo onde chamavam à atenção e promoviam uma legislação que proíbe a produção e a venda de sacos plásticos. “1000m3 de sacos plásticos são produzidos por dia em Bali”, afirmam as irmãs. A paisagem deslumbrante da ilha é ameaçada pela má gestão dos resíduos e a superprodução de recipientes em massa. As irmãs tentam mobilizar as pessoas, através de uma petição disponível online onde elas já recolheram mais de 71 000 assinaturas. O seu compromisso com este projeto foi apoiado pelos embaixadores da Austrália e do Canadá.

N°2. Países Baixos: Fruitleather – O mais chique

E se a tendência de amanhã fosse… o Fruitleather. Esta matéria têxtil foi idealizada por estudantes de design da Academia Willem de Kooning em Roterdão, e foi criada a partir de resíduos alimentares. O resultado? Uma matéria muito parecida com o couro que é batizada de “Fruitleather” ou “couro de fruta”, muito resistente. Malas, sapatos ou elementos de decoração podem ser elaborados graças a este processo. É uma forma original de lutar contra o desperdício alimentar.

N°1. Estados Unidos : Brooklyn Microgrid – O mais inovador

Uma start-up americana, TransActive Grid, desenvolveu um sistema de  “microgrid”. Trata-se de uma energia conectada a uma rede que produz energia localmente. O sistema funciona com painéis solares instalados nos telhados de Brooklyn, o bairro mais habitado de Nova Iorque. A energia produzida é comprada e vendida de acordo com as necessidades energéticas de cada um, através de um software chamado Ethereum. Este conceito promove a produção de uma energia durável e permite criar uma ligação entre os habitantes do bairro.

Você também pode gostar